ItaliaCast #19 | Limite De Gerações | Dia Dos Pais Na Itália

Limite De Gerações

Limite De Gerações

Essere genitore è come avere due cuori e capire che il più importante di loro batte fuori dal tuo corpo”.

Ser pai é como ter dois corações e entender que o mais importante deles bate fora do nosso corpo.

Ciaoooooooooooo bimbi belli

Muitas coisas acontecendo na Itália esta semana!

Dia 19 de março, Festa del Papà e San Giuseppe. 

E dia 17: o Risorgimento, a Unificação da Itália, dois grandes dias comemorados por lá e eu vou contar tudo aqui, no Enquanto isso na Itália duplo desta semana.

E no quadro Cidadania Italiana, Sim! O que a Unificação da Itália tem a ver com a cidadania italiana atual?

Será que esta data, 17 de março de 1861, a Unificação, tem algum significado no reconhecimento dos nossos direitos como italianos? 

E essa história de limite de gerações?

QUIZ 

Limite De Gerações

Quando o hino da Itália foi oficialmente instituído no país?

  • a)  2017
  • b) 1847
  • c)  1946

O “Canto degli Italiani” é o nome do hino Nacional da República Italiana. 

O hino italiano também é chamado popularmente de “Fratelli d’Italia” ou, ainda, de “L’Inno di Mameli”. O último nome faz referência ao seu autor, Goffredo Mameli, que era poeta e considerado um patriota. E quem criou a melodia do hino foi Michele Novaro.

Mameli era filho de um almirante e nasceu no ano de 1827, em Gênova, onde seu pai comandava a frota do Reino de Sardenha.

Foi autor, com 20 anos de idade, da letra do hino nacional da Itália

Ele teve uma notável figura do Risorgimento. Morreu em 1849 muito jovem, com apenas 22 anos, enquanto lutava pela libertação de Roma. 

Você conhece o hino italiano? 

A verdade é que não é tão simples entender algumas partes dele. 

Aliás, alguns italianos confessam que nem para eles é tão simples assim cantar o próprio hino. 

No Portal vamos deixar um pouco mais da história do Canto degli Italiani.

E a resposta, você já sabe, no final!

limite de gerações

17 DE MARÇO: ANIVERSÁRIO DA UNIFICAÇÃO DA ITÁLIA

Sim, queridos amigos – a Itália tal qual como conhecemos – é praticamente um bebê: nasceu no dia 17 de março de 1861 com o nome de Regno d'Italia. 

A unificação italiana aconteceu após o processo de união territorial que resultou no surgimento do Estado-nação da Itália na segunda metade do século 19.

Esse processo foi liderado pelo Reino de Piemonte-Sardenha que, nessa época, era governado pelo rei Vittorio Emanuele II, da Casa di Savoia.

Como já falei pra vocês em outros episódios, durante a primeira metade do século 19 a Itália não existia como Estado-nação e a sua região era formada por uma série de pequenos reinos, muitos dos quais estavam sob o domínio dos austríacos. 

Mas, os ideais nacionalistas se fortaleceram muito durante o século 19, especialmente a partir das revoluções liberais de 1848 que aconteceram em toda a Europa.

O fortalecimento desses ideais nacionalistas na região da Itália levou à formação de diferentes movimentos, que defendiam formas diferentes de conduzir essa unificação territorial:

  • os Neoguelfos: liderados por Vincenzo Gioberti, defendiam a unificação da região sob a liderança do papado;
  • os Republicanos: liderados por Giuseppe Mazzini, defendiam a unificação sob a inspiração de ideais republicanos;
  • e os Monarquistas: desejavam unificar a região sob a liderança da Casa de Saboia, constituindo um regime monárquico. Os grandes nomes desse grupo foram Vitor Emanuel II e Conde de Cavour.

Os movimentos de 1848 também incentivaram rebeliões encabeçadas por republicanos em diferentes partes da Itália.

Uma dessas tentativas de tomar o poder foi conduzida por Giuseppe Mazzini, líder do grupo republicano Jovem Itália.

Os movimentos republicanos, no entanto, fracassaram e acabaram se enfraquecendo. 

No ano seguinte, em 1849, Vittorio Emanuele II assumiu como rei de Piemonte-Sardenha, logo após o seu pai ter fracassado em derrotar os austríacos que ocupavam reinos da região. 

Em 1852, ele nomeou Camilo Benso, o Conde de Cavour, como primeiro-ministro do reino e, juntos, lideraram a unificação italiana.

Resumindo: a unificação italiana, ou Risorgimento, como preferem os italianos, foi liderada pelo Reino de Piemonte-Sardenha.

Com vistas a lutar pela unificação, o primeiro-ministro realizou um breve processo de modernização no reino, pois sabia que eles teriam que enfrentar a Áustria.

Para esse enfrentamento, ele procurou o apoio francês. Juntos, franceses e sardo-piemonteses lutaram contra os austríacos na Segunda Guerra de Independência Italiana, em 1859.

Essa guerra, vencida pelo reino sardo-piemontês, deu a eles o direito de anexar o Reino da Lombardia.

Com a derrota austríaca, outros reinos italianos se rebelaram, expulsando seus governantes austríacos dos territórios e, após um plebiscito, também se anexaram ao Reino de Piemonte-Sardenha. 

O sucesso no confronto contra os austríacos garantiu ao rei Vittorio Emanuele II o apoio de republicanos influentes como Giuseppe Mazzini e Giuseppe Garibaldi.

Esse apoio republicano ao movimento de unificação de Piemonte aconteceu por causa do enfraquecimento dos republicanos após o fracasso de 1848.

Com isso, Garibaldi conduziu uma rebelião no Reino das Duas Sicílias, no sul da Itália, e, depois de conquistar a região, a entregou para o domínio de Piemonte.

Com o crescimento dos territórios conquistados, depois de um longo processo de guerras de unificação e independência do país com as potências vizinhas, Vittorio Emanuele II, reuniu-se em Turim com representantes de outros Estados da península Itálica que reconheciam sua autoridade e autodeclarou-se rei de toda a Itália, em 17 de março de 1861.

Três anos mais tarde foi assinado um acordo entre França e Itália, no qual foi estabelecido que os italianos se comprometiam a não “assaltar”  o Estado Eclesiástico, que estava sob o domínio resistente do papa.

Em 1866 a Itália, aliada à Prússia, apresentou uma declaração de guerra à Áustria a fim de conquistar o Vêneto, o Trentino e Veneza Julia.

A Áustria foi derrotada e a Itália obteve somente Veneza e o Vêneto Ocidental.

O Risorgimento foi concluído no dia 20 de setembro de 1870, quando um exército de artilheiros, liderados pelo general Raffaele Cadorna, assaltou Roma através da Brecha de Porta Pia (uma grande fenda de 30 metros formada por tiros de canhões) e combateu a resistência francesa. 

No dia 2 de outubro do mesmo ano, através de um plebiscito, finalmente o Estado Pontifício, ou seja, Roma, é anexado ao Reino da Itália.

Esse foi o fim do Risorgimento, mas a Itália foi unificada, mesmo, em 17 de março de 1861, mesmo faltando a anexação, ainda, de algumas regiões.

FESTA DEL PAPÀ E SAN GIUSEPPE

Na Itália o Dia dos Pais (La festa del papà) é comemorado no dia 19 de março, mesma data em que o calendário católico celebra o dia de São José, San Giuseppe, pai do menino Jesus.

Todos os pais são homenageados e recebem um presentinho dos seus filhos.

Esta festa é uma ocasião para recordar que “somos sempre filhos de alguém” e para demonstrar nosso afeto e estima pelos nossos “babbi”.

Algumas curiosidades sobre o dia dos Pais:

O primeiro registro de uma homenagem aos pais na história da humanidade data da antiga Babilônia, há cerca de 4 mil anos.

Na época, um jovem teria feito um cartão para seu pai, moldado em argila. No presente, ele desejava sorte, saúde e vida longa a seu progenitor.

O Dia dos Pais é comemorado no terceiro domingo de junho em cerca de 70 países – entre eles, os Estados Unidos, que instituíram a data. 

O primeiro Dia dos Pais no país foi lá celebrado em 19 de junho de 1910.

Além dos Estados Unidos, também comemoram no mesmo dia países como México, Canadá, França, Turquia, Venezuela, Japão, Chile, Reino Unido, Holanda e África do Sul, além de países das Américas do Sul e Central, da África e da Ásia.

No Brasil, a data começou a ser instituída em 1953, por uma sugestão do publicitário Sylvio Bhering – que propôs a comemoração inspirado na norte-americana.

O primeiro Dia dos Pais brasileiro ocorreu no dia 14 de agosto de 1953, Dia de São Joaquim, pai de Maria, mãe de Jesus.

Posteriormente, ele foi mudado para o segundo domingo de agosto.

Na Rússia, os pais são homenageados no dia 23 de fevereiro, data em que se comemora o Dia do Defensor da Pátria local. 

Na Alemanha, os pais também são homenageados em uma data católica: o dia da ascensão de Jesus Cristo, data na qual, segundo a Igreja, o corpo físico de Jesus foi elevado aos céus.

Ela acontece no 40º dia após o domingo de Páscoa, sempre uma quinta-feira. 

Nos países da Oceania, o Dia dos Pais é comemorado no primeiro domingo de setembro. Entre eles estão Austrália, Nova Zelândia, Papua Nova Guiné e as ilhas Fiji.

Na Austrália, a data é bastante comercial, e há um grande incentivo à compra de presentes, como no Brasil.

limite de gerações

Mas voltemos à nossa comemoração na Itália

Para homenagear esse dia, como praticamente tudo se comemora com comida, em diversas regiões da Itália se presenteia o pai com um prato típico, geralmente um doce.

Sfinci di San Giuseppe, Bignè di S. Giuseppe –  um doce muito típico em Roma – que se encontra exclusivamente no dia 19 de março, Zeppole di San Giuseppe (Napoli), Biscotti per il papà e no norte da Itália o prato do dia é um Frittelle di riso ou Fritelle di San Giuseppe (uma espécie de bolinho de arroz) que por sinal é muito saboroso.

Zeppole di San Giuseppe

AUGURI A TUTTI I PAPÀ! FELIZ DIA DOS PAIS!!!

De todas as coisas que sou, ser pai é, sem dúvida, a melhor delas!

Um beijo para as minhas filhas Isabella e Brunna, que me fizeram conhecer o verdadeiro amor e me tornar um ser humano melhor.

A VERDADE SOBRE O LIMITE DE GERAÇÕES

Neste Italiacast eu vou aproveitar o tema da Unificação e falar um pouco sobre limite de gerações e se esse fato da Unificação interfere em alguma coisa ligada ao direito de reconhecer a cidadania italiana.

“Fabio, é verdade que a cidadania italiana não é transmitida se meu antenato italiano faleceu antes de 17 de março de 1861?”

Vamos lá: antes da unificação, não existia o que chamamos hoje de Itália.

Assim, todos os cidadãos que faleceram antes da unificação, não foram reconhecidos, oficialmente, como cidadãos italianos.

Eles faziam parte de algum Reino da onde eram originários, e por isso não poderiam transmitir a cidadania “italiana” para seus descendentes.

Aliás, essa questão de região, na Itália, sempre foi muito valorizada, pois elas eram independentes antes da Unificação, tinham seu próprio governo, bandeira, governo, dialeto, costumes e até dinheiro.

Daí a razão de ainda hoje, um milanês não simpatizar muito com um calabrês, por exemplo.

Talvez essa unificação não tenha mudado tanto este sentimento entre os italianos.

É comum ouvirmos falar que um italiano não se sente “italiano”, mas romano, milanês, toscano e por aí vai. 

Este sentimento provinciano de uma Região ou de uma cidade específica, e não de uma Nação, é fruto do passado e de tudo aquilo que eles tiveram que passar. 

Mas voltando ao assunto.

Sim, é verdade que, se o dante causa – ou seja, aquele cidadão italiano que origina o seu direito à cidadania italiana teve seu filho ou tenha morrido antes da data da unificação da Itália, não há o direito ao reconhecimento, pois ele morreu sem ser italiano, já que a Itália ainda não existia.

Porém, fique tranquilo, pois em mais de uma década lidando com milhares de casos, eu só vi isso acontecer 2 vezes, então as chances de isso também ter acontecido com você é praticamente nula.

Em relação ao limite de gerações, a Itália é o único país no mundo que não impõe nenhum tipo de regra em relação a isso.

Ou seja: não importa se você é neto, bisneto, trineto, tetraneto ou qualquer outro “neto”; desde que você consiga comprovar a linha direta entre o seu antenato italiano e você, e não tenha havido nenhuma interrupção nesta ligação, você é cidadão italiano e poderá realizar o seu processo.

Existe apenas um detalhe que deve ser considerado que é o caso onde temos uma mulher na linha de transmissão – mas este assunto vou deixar para falar mais detalhadamente em outro episódio, para não confundir os temas, ok?

Para finalizar, podemos concluir que “a cidadania italiana não tem limite de gerações”, desde que o seu antenato seja realmente italiano, ou seja, tenha vivido, mesmo que um único dia, na Itália unificada.

Sobre este tema você pode explorar mais detalhes nestes artigos do Portal:

Como saber se tenho direito a cidadania italiana

NO DIVÃ DO FABIO (LIMITE DE GERAÇÕES)

PERGUNTA:

  1. algum limite de geração para descendentes de italianos ou uma lei que foi sancionada que irá entrar em vigor esse ano ou ano que vem ou depois, que poderá restringir o direito a cidadania do indivíduo? Pois hoje chegou a certidão do meu bisavô fui direto ao cartório da minha cidade para saber como faço o processo da retificação do meu sobrenome. Aí a mulher do cartório disse que o ano que vem vai entrar uma lei em vigor que os trinetos não vai ter direito a cidadania…”

Ângelo Danieleto

RESPOSTA:

Não, Isso não procede!

Todos os anos ou de tempos em tempos surge um boato novo que a cidadania italiana vai mudar, acabar, enfim… mas não há nada previsto neste sentido.

A Itália realmente está com outros dilemas prioritários para resolver do que mudar a lei que transmite o direito ao reconhecimento da cidadania italiana. O que acontece é que, quando “descobrimos” este assunto e ele passa a fazer parte da nossa vida, ou seja, entramos nesta “bolha”, achamos que tudo gira em torno deste assunto (sabe quando você vai comprar um carro e você começa a ver a mesma coisa em todos os lugares?). Mas não é o que acontece, de fato! Este “carro”, este “assunto” sempre esteve lá, você que não percebia!

Mas, voltando ao assunto, não há nada neste sentido.

Quer um conselho? Recomendo que você me siga nas redes sociais (Instagram, Youtube) e se cadastre no Portal da Cidadania Italiana. Sempre que há qualquer informação sobre cidadania italiana eu dou em primeira mão aos meus seguidores!

PERGUNTA:

  1. “Oi, Fabio! Estamos buscando os documentos necessários para conseguirmos a cidadania. Tem alguma quantidade de descendentes máxima para conseguir a cidadania? Por exemplo, até cinco gerações? Como faço para conseguir os documentos que estão na Itália?  Obrigada!

Luana Carnevali

RESPOSTA:

Como já falamos no quadro deste episódio Cidadania Italiana, Sim! Não, não há limites de gerações!  Desde que o seu antenato seja realmente italiano, ou seja, tenha vivido, mesmo que um único dia, na Itália unificada.

RESULTADO DO QUIZ

Relembrando a pergunta do episódio de hoje:

Quando o hino da Itália foi oficialmente instituído no país?

  • a)  2017
  • b) 1847
  • c)  1946

E acertou quem escolheu a opção “A”, em 2017.

A letra de Mameli foi considerada o hino italiano pela primeira vez no dia 12 de outubro de 1946, mas de forma “provisória”, graças a uma proposta do Ministro da Guerra daquela época.

Vamos à história: o “L’Inno di Mameli”  já tinha sido executado pela primeira vez bem antes desta data, em 1847, no dia 10 dezembro, na cidade de Gênova e se tornou bem popular, difundido em todo o período do Risorgimento e nas décadas seguintes.

Após a unificação, em 1861, o hino nacional adotado foi a Marcia Reale, a Marcha Real, ou Fanfara Reale, hino oficial da Casa Real de Savoia, que foi mantida até a Itália se tornar uma república, em 1946.

Em 1946, a Itália tornou-se uma república, e em 12 de outubro de 1946, Il Canto degli Italiani foi provisoriamente escolhido como novo hino nacional do país.

Bom, o tempo foi passando e o hino continuou a ser executado no país, porém, somente entre os anos de 2001 e 2005, começaram a cogitar a mudança de provisório para oficial.

Desde então, foi apresentada uma proposta de lei para que o hino de Mameli fosse definitivamente oficial na Itália, porém, a mesma não foi aprovada.

Entre os anos de 2006 e 2008, e 2008 e 2013, novas tentativas, e nada desse projeto de lei ser aprovado.

Enquanto isso, em 2012, se apresentava uma nova proposta de lei, que dizia que “pela cidadania entre os estudantes” o hino de Mameli deveria ser ensinado nas escolas.

Foi aceito, mas continuava sendo um hino “provisório”.

Em 2017, novamente foi apresentada a proposta e parecia que a lei não teria sucesso, mas, desta vez, a Comissão Constitucional da Câmara levou poucas semanas para aprová-la, afirmando que reconhecia o texto “Canto degli italiani” de Goffredo Mameli e música de Michele Novaro como o “hino nacional da Itália”.

Limite De Gerações

Assim, senhoras e senhores, somente em 4 de dezembro de 2017 o Conselho dos Ministros da Itália reconheceu a letra de Mameli como hino oficial da Itália. 

Finalmente as 6 estrofes do texto de Mameli foram reconhecidas e não somente as duas primeiras, que eram conhecidas anteriormente.

Ou seja, 71 anos depois da Itália ter se tornado República e escolhido esse hino como provisório, ele passou a ser considerado “o Hino OFICIAL da Itália”. 

Isso mesmo, nós ouvimos o hino italiano muitas vezes antes de ser reconhecido como o hino nacional da Itália.

PENSAMENTO

Hoje nós falamos sobre lutas e ideais, sobre a Unificação da Itália, então eu quero dizer aqui: não desista de lutar por aquilo que você quer.

Não desista, mesmo que pareça impossível, não pare! Lute.

As conquistas não chegam de mão beijada, muita coisa pode acontecer pra te convencer a desistir.

Às vezes perdemos muitas batalhas até ganharmos a guerra!

Um documento difícil de encontrar, um parente que morreu, falta de dinheiro.

E na vida então, temos muitos, muitos momentos difíceis.

Eu, por exemplo, resolvi ir para a Itália depois que uma empresa que eu tinha faliu, eu tinha o dinheiro contado, já tinha duas filhas pequenas e eu tinha que dar um futuro melhor a elas. 

Tem um livro que eu gosto muito e você que me segue no Instagram já sabe, se não segue tá perdendo, todo mês eu dou a dica de um livro legal, então me segue lá…

Voltando ao livro, se chama O Obstáculo é o caminho, de Ryan Holiday.

Limite De Gerações

Fala sobre o imperador romano Marco Aurélio que enfrentava muitas lutas e nem por isso desistia, ele defendia o uso dos obstáculos ao nosso favor, quem puder leia, vou deixar na descrição depois.

A lição é a seguinte: 

“O que impede o nosso caminho, torna-se o caminho”.

Isso faz sentido pra você?

limite de gerações

Escolha abaixo como acompanhar o Italia Cast:

Apple | Spotify | Deezer | Link Geral | Youtube

limite de gerações

GOSTOU DO ITALIACAST?

Todos nossos esforços estão voltados para te ajudar, através do compartilhamento do maior número de informações a respeito do nosso querido país.

E este é um canal de mão dupla: nós prometemos te entregar o nosso melhor, e em troca você compartilha suas impressões, experiências, feedback e comentários conosco.

Por isso te pedimos duas coisas:

1 – Deixe sempre um comentário abaixo do episódio (seja no Youtube, Podcasts ou aqui mesmo no Portal) para que saibamos as suas impressões

2 – Compartilhe com o maior número de pessoas que você conhece, assim você nos ajuda com nosso propósito que é atingir o maior número possível de pessoas, combinado?

Então bóra compartilhar este episódio nas suas redes sociais, basta utilizar os botões abaixo 😉

limite de gerações

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.